Desmistificando o Ministério de Louvor (Parte 1)

novembro 16, 2015
Havilah
Untitled-1

A partir de hoje, toda segunda-feira, teremos artigos voltados exclusivamente ao ministério de louvor. Nestes artigos irei dar dicas práticas de como melhorar o momento do louvor na sua igreja, sempre aliado, é claro, à palavra de Deus e sendo dito com base na Bíblia.

Pois bem, antes de tudo, precisamos saber o que é “louvar”. De acordo com o dicionário, louvor se classifica como: sm (de louvar1 Ato de louvar. 2 Aplauso, elogio, encômio. 3 Apologia de uma obra meritória. 4 Glorificação. Antôn: censura, crítica.

Dentro da igreja o louvor nada mais é que o ato de agradecer a Deus por tudo que Ele nos faz. Mas como podemos louvá-lo com excelência? Iremos tratar dessa e outras dúvidas ao longo do nosso estudo.

Há uma diferença entre louvar e adorar. O louvor como já falei lá em cima é o ato de aplaudir / elogiar algo ou alguém. A adoração não. De acordo também com o dicionário adorar é amar excessivamente, demonstrar afeto, respeito ou submissão. Bem diferente de adorar, né?

Partindo desse princípio podemos perceber que podemos adorar a Deus não apenas com canções, mas com nossas atitudes, nosso dia-a-dia. O salmista disse no Salmos 150:6: “Todo ser que tem fôlego de vida, louve ao Senhor”. Você já imaginou quão chato seria se apenas louvássemos a Deus com música?

Esse é o primeiro pensamento que um ministro de louvor tem que ter. “A igreja não depende de mim para adorar ao Senhor”. Infelizmente, muitos ministros têm suas ideias distorcidas pelo reconhecimento que lhe é dado e tendem a pensar que sua música é a única forma de levar a igreja à adoração. Temos que perceber sempre que nós somos apenas o instrumento. Cristo é quem faz. João 3:30: “É necessário que Ele cresça e eu diminua”.

Outro ponto bem importante é a ideia distorcida da expressão “ministro de louvor”. Muitos apenas querem ser um ministro, porque a expressão é bonita ou porque está na moda. Muitos enxergam apenas o “glamour” da plataforma e pensam que aquilo tudo é muito chique. Ministrar vai além disso. É preciso ter uma vida centrada em oração, adoração e submissão à vontade de Deus. Ministrar é bem mais que chegar em cima de um palco/púlpito, falar algumas palavras, e cantar músicas bonitas. Ministrar é viver para Cristo, é se render à Ele, para que a nossa boca, seja a boca dEle na terra.

Ser um ministro do Senhor é viver uma vida de renúncia. É viver no mundo, mas não pertencer ao mundo, é fazer com que as pessoas vejam Cristo em nós, no nosso viver, no nosso agir, no nosso falar, na nossa casa, em tudo! Lucas 9:23: “Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo. Dia-a-dia tome a sua cruz e siga-me”.

Você está pronto para seguir o chamado do Senhor?

:: Alexandre Ferreira

Gestor de Marketing, Alexandre presta serviços de Marketing para o Instituto de Música Gospel Havilah. Atua na área de Marketing há 04 anos. É aluno do curso de Técnica Vocal da Havilah e idealizador do Ministério Dom da Criação.

Comente este post!

comentário(s)

Palavras-chave: